AGENDA 2021
CICLO PÚBLICO 2021
com Ana Pi, Ana Rita Teodoro e Alina Ruiz Folini, Didi, Irineu Destourelles, Rita Natálio, Margarida Mendes e Maria Lúcia Cruz Correia

O programa destes 3 dias é sobretudo um convite à coletivização da experiência do desaparecimento histórico e do luto ambiental, mas também à presentificação do afeto por entes ou pessoas não-humanas. Algumas das propostas traduzem as experiências em residência da artista coreográfica e da imagem Ana Pi e do artista visual Irineu Destourelles que foram convidades a se debruçar sobre a cidade de Lisboa e suas dinâmicas de trânsito, circulação e exclusão.  Também se atualizam pesquisas já iniciadas no ano passado como as sessões de “Leitura de Seres Vegetais” de Alina Ruiz Folini e Ana Rita Teodoro, ou uma caminhada performativa pelo Rio Tejo proposta por Margarida Mendes e Maria Lúcia Cruz Correia que incidirá sobre as disputas atuais em torno da construção de um novo aeroporto para a cidade de Lisboa. No dia 20, Dia da Consciência Negra no Brasil, abrem-se os caminhos e as consciências com uma performance inédita de DIDI com a participação de Pri Azevedo seguida de uma celebração. 

 

20, 21 e 22 Novembro

"Leitura de seres vegetais" de Alina Ruiz Folini e Ana Rita Teodoro com Suiá Ferlato

 

20 de Novembro

"Essa tal consciência" de DIDI com Pri Azevedo

 

"Tarantode no espaço urbano desmemoriado", de Irineu Destourelles com a participação de Gio Lourenço

 

21 de Novembro

"Caudal Restaurativo", de Margarida Mendes e Maria Lúcia Cruz Correia

 

22 de Novembro

"Fumaça", de Ana Pi

 

 

FICHA TÉCNICA

Pesquisa e organização_Rita Natálio

 

Ciclo público com ações e performances_Ana Pi, Ana Rita Teodoro & Alina Ruiz Folini, DIDI, Irineu Destourelles,  Margarida Mendes & Maria Lúcia Cruz Correia

 

Programa de residência com participações e diálogos com_António Carmo Gouveia, Alexandra do Carmo, António Brito Guterres, Cátia Sá, Di Candido aka DIDI, Dani d’Emilia e Sarah Amsler, Guy Massart, Maria Helena Marques, e os projetos coletivos Bela Flor Respira, Comunidade Portuguesa de Candomblé Yorùbá e Gesturing Decolonial Futures Collective.

 

Direção técnica_Eduardo Abdala

Assistência técnica à residência_Artur Pispalhas

Documentação do ciclo:_Aline Belfort

Produção Executiva_Associação Parasita

Produtora_Carolina Gameiro

CoProdução_Alkantara

Residências_Espaço Alkantara

 

Parasita é uma estrutura financiada pelo Governo de Portugal – Ministério da Cultura/Direção-Geral das Artes

 

20 a 22 de Novembro
Espaço Alkantara / Festival Alkantara
Lançamento website Terra Batida
Participantes da rede Terra Batida

Nesta conversa, partilharemos metodologias de trabalho da rede Terra Batida e apresentaremos o resultado do trabalho editorial de Margarida Mendes e Marta Mestre para o site Terra Batida com textos inéditos de Ana Vaz, Brian Holmes, João Prates Ruivo, Marta Macedo e Margarida Mendes, para além de uma seleção de textos de outros autores essenciais nas área das humanidades ambientais, tais como Veronica Strang, Godofredo Pereira, Astrida Neimanis, Pedro Neves Marques, Paulo Tavares, Paulo Guimarães, e a poesia de Peter Zin e de Rita Natálio.

 

Com a participação de Rita Natálio, Alina Ruiz Folini, Ana Rita Teodoro, Joana Levi, Marta Lança, Marta Mestre, Margarida Mendes, Nuno da Luz e Vera Mantero.

4 setembro 2021
Espaço Alkantara
Leitura de Seres Vegetais
Workshop com Ana Rita Teodoro e Alina Ruiz Folini

Durante o projeto Terra Batida 2020, Ana Rita Teodoro desenvolveu, junto com Alina Ruiz Folini, um oráculo de leitura de vegetais. Tratava-se de um protocolo experimental onde uma pergunta era colocada a um ser vegetal. O que se pretendia com este oráculo, não era tanto adivinhar o futuro, como praticar uma observação atenta da soberania do ser vegetal, religando alimento e afeto.

 

Neste workshop/encontro procuramos partilhar esta prática ao mesmo tempo que a desenvolvemos com o grupo de participantes. A ideia é criar um comité de leitura disposto a ser encantado e a encantar. Porque consideramos que esta prática pode ser usada por todas as pessoas.

30 agosto — 3 setembro 2021
Espaço Alkantara
Rasante
Joana Levi

A partir de um olhar sobre processos de migração, extinção e conservação de aves — propiciado pelas residências do projeto Terra Batida no Alentejo — Joana Levi apresenta Rasante, uma performance-em-processo que se desenrola como uma fábula meditada ou uma meditação fabulada, colocando em jogo perspectivas e conflitos interespécies. Neste jogo, o sedimento das fronteiras hierárquicas estabelecidas entre “Humano” e “Animal” aparece como máquina replicadora de relações coloniais, racionalistas, supremacistas que não cessam de entulhar e aterrar o presente do futuro.

 

A apresentação é seguida de uma conversa entre Joana Levi e Rita Natálio.

27–28 agosto 2021
Espaço Alkantara
Ana Pi e pessoas convidadas
Ana Pi

Este ano, no Espaço Alkantara, a rede Terra Batida propõe uma residência de pesquisa com foco na cidade de Lisboa e nos trânsitos em diferentes escalas (centro/periferia, rural/urbano, nacional/internacional, passado/futuro, local/global). Abrimos as portas do Espaço Alkantara para a partilha da investigação de Ana Pi com pessoas convidadas, participantes na residência.

20 agosto 2021
Espaço Alkantara
Irineu Destourelles conversa com Maria Helena Marques e Guy Massart
Irineu Destourelles

Apresentação de Irineu Destourelles, em conversa com a antropóloga Maria Helena Marques a partir do seu livro Guardar as sementes: preservar a biodiversidade agrícola e a pluralidade cultural e com Guy Massart, pesquisador independente e professor de antropologia no instituto Universitário MEI_A, Mindelo, Cabo-Verde, que realiza projectos etnográficos experimentais, tanto em termes de meios de comunicação (www.masscabas.net) do que em termos de métodos de pesquisa participativa, nomeadamente como crianças e jovens.

 

 

14 agosto 2021, 19h00
Espaço Alkantara